A censura contra o jornal a crítica apresentado por Sikêra Júnior - E Dia

A censura contra o jornal a crítica apresentado por Sikêra Júnior

A primeira-dama de Manaus, Elisabeth Valeiko, entrou com uma ação na Justiça contra o Jornal A Crítica em razão dos comentários do apresentador Sikêra Júnior sobre a morte do engenheiro Flávio Rodrigues.
Elizabeth quer a retirada imediata da internet de todos os conteúdos em que Sikêra menciona o assassinato ao profissional.

Flávio foi encontrado morto em uma área de mata no Tarumã, no dia 30 de setembro, após participar de uma festa na casa do filho da primeira-dama, Alejandro Valeiko, localizada no condomínio Passaredo, em Ponta Negra/AM.

Alejandro e outras quatro pessoas, incluindo um PM que prestava serviços de segurança para a Prefeitura de Manaus, estão presos por suspeita de envolvimento no caso.

O juízo da 14ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Amazonas concedeu uma decisão liminar à primeira-dama. O magistrado sustenta que os comentários de Sikêra “ultrapassaram os limites do direito à informação, de maneira que adentraram à esfera dos direitos de personalidade”.

Se a emissora não cumprir a decisão, a multa diária é de R$ 10 mil.

Em nota, o jornal afirmou que os vídeos já foram tirados do ar e que “vai recorrer da decisão para que o conteúdo volte a estar disponível ao público na internet e seu apresentador, que comanda um dos programas de maior audiência da emissora, possa exercer com liberdade seu direito de crítica e informação”.
Mesmo após a decisão judicial, Sikêra voltou a falar sobre o caso Flávio. O apresentador do ‘Alerta Amazonas’ disse estar sendo vítima de censura e aproveitou para mandar um recado aos poderosos da região: “O dinheiro de vocês não vai me calar”.

Não é porque vocês tem dinheiro que vão me calar. Vocês podem até tentar de outra forma, podem fazer o que quiserem comigo, mas eu não vou parar de falar do caso Flávio. Eu não sou o que vocês pensam. Lamentavelmente, a maioria dos meus colegas de outras emissoras já estão se calando. A situação do Flávio, que morreu, está saindo dos radares da imprensa. Está quase apagando. Aqui não. Eu vou acender [o caso] todo dia. O dinheiro de vocês não vai falar mais alto”, disparou.

E prosseguiu: “Em pleno século XXI não dá pra acreditar o que querem fazer comigo. Mas é Deus é maior. Eu tenho certeza que o público que eu conquistei aqui vai estar do meu lado e me apoiar. Vocês querem a verdade, nada além da verdade, e eu quero também”, finalizou.

ASSISTA ABAIXO