Contas russas diminuem atividades no Facebook para fugir de controle - E Dia

Contas russas diminuem atividades no Facebook para fugir de controle

Perfis tentam reduzir a busca por novos seguidores e a disseminação de mensagens virais para evitar de serem detectados pela plataforma

Os esforços das campanhas de influência da Rússia para não serem detectadas nas redes sociais antes das eleições dos EUA em 2020 estão minando a capacidade de conquistar seguidores e disseminar mensagens políticas, disse um executivo de alto escalão do Facebook à Reuters.


Usuários de mídia social precisam se destacar da multidão para ganhar força online, mas esse tipo de comportamento também ajuda o Facebook e outras plataformas a identificar atividades suspeitas para analisar sinais de envolvimento estrangeiro, disse Nathaniel Gleicher, chefe de política de segurança cibernética do Facebook.

"Se você faz muito barulho, torna-se viral muito rápido. E é exatamente isso que nossos sistemas automatizados irão detectar e sinalizar", disse ele. "Então, quando os atores têm uma segurança operacional realmente diligente, deliberada e eficaz, isso enfraquece sua capacidade de formar uma audiência".

O Facebook suspendeu na segunda-feira (21) uma rede de contas do Instagram que mirava usuários dos EUA antes da eleição presidencial do ano que vem e estavam vinculados à Agência de Pesquisa na Internet da Rússia (IRA), organização que Washington diz que Moscou usou para interferir nas eleições de 2016.

A última campanha russa postava conteúdo apoiando ambos os lados de tópicos sensíveis como meio ambiente e igualdade de gênero, mas teve dificuldades para atrair seguidores devido às tentativas dos donos das contas de impedir que as contas fossem capturadas e desativadas, disse Gleicher.

Esses esforços incluíam compartilhamento de memes e capturas de tela das postagens de outros usuários, em vez de produzir conteúdo original em inglês, provavelmente evitando erros de linguagem típicos de falantes não nativos, de acordo com a empresa de análise Graphika.

Essa técnica "deu a cada ativo uma personalidade menos discernível e, portanto, pode ter reduzido a capacidade (da campanha) de criar audiência", disse a Graphika.

A rede de 50 contas vinculada ao IRA tinha cerca de 246 mil seguidores, cerca de 60% dos quais estavam nos Estados Unidos, disse o Facebook, sem fornecer detalhes sobre cada conta.

Copyright © Thomson Reuters.