Carlos Bolsonaro mostra gravações do condomínio e desmente Globo - E Dia

Carlos Bolsonaro mostra gravações do condomínio e desmente Globo

Filho do presidente exibiu a relação de ligações da portaria no dia da morte de Marielle. Os dados desmentem reportagem da TV Globo
O vereador licenciado do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro postou em seu Twitter na manhã desta quarta-feira (30) um vídeo no qual mostra os registros das conversas da portaria do condomínio Vivendas da Barra, zona oeste da capital do estado, no dia da morte da ex-vereadora Marielle Franco (PSOL).

De acordo com uma gravação que Carlos reproduz no tuíte, a ligação anunciando um dos criminosos foi feita para o número 65, não 58, no qual mora seu pai, o presidente da República, Jair Bolsonaro.

Segundo Carlos, que reside no mesmo condomínio, fica claro que não há, ao contrário do que afirmou a reportagem da TV Globo na noite de terça-feira (29), uma ligação para a casa de Jair Bolsonaro, muito menos faria sentido a afirmação, atribuída ao porteiro, de que "seu Jair" teria autorizado a entrada do ex-policial Élcio Queiroz, um dos acusados de participar do assassinato de Marielle.

Élcio, segundo a denúncia, teria usado o nome de Jair Bolsonaro para acessar o condomínio no dia 14 de março de 2018, momentos antes do assassinato. Após a ligação da portaria ao número 58, no qual mora o presidente, o criminoso teria, de acordo com a TV Globo, se encaminhado para a residência de Ronnie Lessa, principal acusado pela morte (ele é proprietário de duas casas, a 65 e a 66).