Exxon concorda em venda de US $ 4 bilhões em ativos de petróleo e gás na Noruega - fontes

LONDRES / ABERDEEN, Escócia (Reuters) - A Exxon Mobil ( XOM.N ) concordou em vender seus ativos noruegueses de petróleo e gás por até US $ 4 bilhões, marcando a saída da empresa americana da produção no país depois de mais de um século, três fontes familiarizado com o assunto dito na quinta-feira.

FOTO DO ARQUIVO: Um logotipo da Exxon Mobil Corp é visto na Rio Oil and Gas Expo and Conference no Rio de Janeiro, Brasil, 24 de setembro de 2018. REUTERS / Sergio Moraes

A Exxon disse em junho que estava procurando vender seu portfólio norueguês de upstream, que inclui participações minoritárias em mais de 20 campos, operados pela produtora local Equinor ( EQNR.OL ) e pela companhia petrolífera anglo-holandesa Royal Dutch Shell ( RDSa.L ).

Uma porta-voz da Exxon disse: "Por uma questão de prática, não comentamos discussões comerciais".

As ações da Exxon, a maior companhia de petróleo de capital aberto do mundo, subiram 1,7%, para uma alta de sessão em Nova York, depois que a Reuters informou que uma venda havia sido acordada.

A empresa com sede em Irving, no Texas, manteve conversas nas últimas semanas com várias partes interessadas, incluindo as empresas listadas em Oslo Equinor, Aker BP ( AKERBP.OL ) e DNO ( DNO.OL ), Lundin Petroleum, listada em Estocolmo ( LUPE). ST ), bem como a Var Energi, apoiada pela italiana Eni ( ENI.MI ) e pela empresa de private equity Hitech Vision, disseram fontes do setor.

Equinor, Lundin, DNO e Var não estavam imediatamente disponíveis para comentar.

As três fontes disseram que a Exxon havia encerrado o processo de venda nos últimos dias com um comprador depois de concordar com os termos de uma venda.

A Exxon contratou o banco de investimentos Jefferies para executar o processo de venda, disseram fontes bancárias à Reuters no mês passado.

Jefferies se recusou a comentar.

Em 2017, a produção líquida da Exxon a partir de campos na Noruega era de cerca de 170.000 barris de óleo equivalente por dia, de acordo com seu site.

A venda, se aprovada pelos reguladores e concluída, ocorrerá depois que a Exxon se concentrou nos últimos anos em aumentar sua produção terrestre de xisto nos Estados Unidos, particularmente na bacia do Permiano, além de desenvolver grandes descobertas de petróleo na Guiana.

A Exxon também está considerando vender seus ativos no Mar do Norte britânico depois de mais de 50 anos, disseram fontes da indústria à Reuters no mês passado.

Reportagem de Ron Bousso e Shadia Nasralla, reportagem adicional de Nerijus Adomaitis em Oslo, Gary McWilliams em Houston; Edição por Elaine Hardcastle e Susan Fenton

Copyright © Thomson Reuters.