Deutsche Bank inicia demissões em massa de 18 mil funcionários

Instituição financeira alemã é uma das 20 maiores do mundo e recuou dos planos de ter um forte banco de investimentos em Wall Street

Simon Dawson/Reuters

O banco alemão Deutsche Bank, um dos 20 maiores do mundo, demitiu funcionários de Sydney (Austrália) a Nova York (EUA) nesta segunda-feira (8), quando começaram 18 mil cortes de empregos em uma "reinvenção" de US$ 8,3 bilhões (R$ 31,5 bilhões).

O maior credor da Alemanha informou neste domingo (7) que cortaria suas operações globais de ações e também parte da renda fixa, em um recuo da ambição de tornar seu banco de investimentos, com 38 mil funcionários, uma força em Wall Street.

LEIA MAIS: Deutsche Bank cortará 18.000 vagas em reestruturação de 7,4 bi de euros

No escritório do banco em Wall Street (Nova York), os funcionários afetados pelos cortes foram chamados à cafeteria para tomar conhecimento de seu destino. Um aviso dentro do saguão do prédio dizia à equipe que o refeitório estaria fechado até as 11h30.

Centenas de funcionários foram informados durante as reuniões que suas posições estavam sendo cortadas, disseram fontes dentro do banco à Reuters. Eles também receberam detalhes sobre as verbas rescisórias.

O Deutsche Bank planeja fechar todos os seus negócios de ações e cortar algumas partes de suas operações de renda fixa, em uma revisão que deve levar a 18 mil cortes de empregos.

Algumas dessas funções serão cortadas imediatamente, enquanto outras equipes serão mantidas por mais tempo enquanto ajudam a encerrar as operações.